quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Curriculum

Nascido sem festejo
Colorido pelo avesso
Insistente nas trilhas
Sem eira nem beira*
Indelével como rocha
Brasileiro de profissão


* Expressão popular

Eliana Pichinine

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Cupido enamorado


Flechada visceral
cintila a enamorada
alma

Fagulhas escondidas
espreitam você

Mantêm a distância
necessária

de quem
não é correspondido


Eliana Pichinine

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Interpretando a previsão do tempo


Sol entre nuvens pela manhã

Não chove


Você em meus pensamentos

Sem lágrimas


Pancadas de chuva

à tarde e à noite


Saudade no decorrer do dia

Cem lágrimas


Eliana Pichinine

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Des(continuidade)


O que escrevo

tem raízes


Nas veias

do passado

caminhou


Nas artérias

do presente

caminha

Eliana Pichinine

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Cadeia alimentar

O que é do homem
o bicho não come
*

E o que é do bicho
o homem come?

Eliana Pichinine

*dito popular

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Sem saber


É sobre você
mas não saberá

É com você que sonho
mas não saberá

É por você
o meu olhar feliz
mas não saberá

É pensando em você
que os pés caminham
mas não saberá


Ficará na dúvida
mas não saberá

Indagará ao espelho
mas não saberá

É ao adormecer
que me encontrará


Que incólume permaneça
esse inconfesso sentimento

Que a reciprocidade não se revele
pois nenhum de nós [dela] saberá

Eliana Pichinine

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Inesquecível


Sussurros ao luar

Vinho transpirando

Toalhas acompanhadas

Recados inesperados

Luz indireta

Aperto no coração

Coxas abraçadas

Olhar enamorado

Arrepio na nuca

Beijo molhado

Nossa temperatura

Tristeza renunciada

Cadeado aberto

Eliana Pichinine

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Banco de praça


Quando não sei o que fazer
paro de andar
e voo em meus pensamentos

(Alguém observando um pássaro)


Quando não sei o que fazer
paro de voar
e ando em meus pensamentos

(Um pássaro observando alguém)


Eliana Pichinine

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

PREVENÇÃO


Quero escutar o seu silêncio
com a maior sonoridade possível

Quero ter você
longe de minha vontade

Quero não saber de você
Quero me proteger de impulsos

Quero esquecer as lembranças
que passeiam em minha pele

Eliana Pichinine

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Habitat

Ainda mora aqui

A boneca de estimação
A brincadeira no terraço
A ciranda de estórias
A magia daquele vestido
A onda da praia
A menina de óculos


Ainda moram aqui

Os passeios de bicicleta
Os concursos de bambolê
Os rodopios de patins
Os passos de dança
Os discos de vinil

Os cabelos encaracolados

Eliana Pichinine

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Tempo de Passagem

Idade
é
coisa*
que

passa*
e
amassa

Eliana Pichinine

* Referência ao dito popular

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

sábado, 21 de agosto de 2010

sábado, 14 de agosto de 2010

APRENDIZADO

Não sei as certezas do amor
Conheço as suas incertezas
[com certeza]

Eliana Pichinine

sábado, 7 de agosto de 2010

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Respingos

Briguei com o amor
Chutei aquarelas

Os respingos coloridos
me convenceram

Fiz as pazes

Eliana Pichinine

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Nas ruas

Des(gastei)a solidão
andando

Nos contornos
das pedras portuguesas
teimavam as lembranças
de tropeços enamorados

Eliana Pichinine

sábado, 10 de julho de 2010

Tarefas do tempo II


Árvore nascendo
Ideias surgindo

Massa fermentando
Felicidade recuperada

Tempero no ponto
Amizade redescoberta

Crianças crescendo
Semente brotando

Janela aberta
Brigas desfeitas

3/3/10
Eliana Pichinine

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Lançamento do Blogue

Rio de Janeiro, 7 de julho de 2010.


Este espaço foi criado com muito carinho. A intenção inicial é apresentar os escritos de minha autoria, porém, sem desconsiderar meus preferidos textos de diversos autores que admiro. Sendo assim, serão postados contos, crônicas e poemas...
Cada poema transmitirá de certa forma uma assinatura minha, uma perspectiva, um olhar, um abraço, que estarão implícita ou explicitamente representados. E quando assim, se sentirem, saberão que eu também estive presente.
Espero que o lançamento desse blogue seja apenas o início de uma infindável conversa.



Muito prazer!

Eliana Pichinine




Exercício


Anoitecer as tristezas
[ escrevendo]
Inovar as ideias
[revendo]
Rasgar o passado
[reescrevendo]
Desabotoar a dor
[ esquecendo]


Eliana Pichinine



Jardim


Emprestaste o jardim
de teu olhar:
floresci

Eliana Pichinine



Gato e rato



que eu fico

Fique
que eu vou

Fale
que eu emudeço

Beba
que eu resseco

Eliana Pichinine




Tarefas do tempo I


Gaveta empenada
Aspereza na tez

Telhado opaco
Lembrança puída

Retrato descolorido
Infiltração na memória

Lata enferrujada
Saudade cerzida

Parede descascada
Penteado démodé

Eliana Pichinine