segunda-feira, 28 de maio de 2012

Terno


      Quando você

       chegava

     de

 viagem

vestindo

a ternura

da sua

presença

o

    terno

escuro

que

cobria

seu corpo

tornava-se

um atrativo

claramente

irresistível

21/6/11
Eliana Pichinine











sábado, 26 de maio de 2012

Fui e voltei


Ouvi


histórias


contadas


por


minha



mãe




Fui

o

bebê


das


minhas


irmãs




Valsei


com


meu


pai





Saí

do

casulo




Noivei


com


meu amor




Cantei


com


meus


 filhos


 14/10/11, 22/10/11&31/10/11

Eliana Pichinine





















quarta-feira, 9 de maio de 2012

Pontes de Madison*



Os pingos

 lá fora

molhavam

o asfalto

 As minhas

 lágrimas

escorriam

dentro

do carro


 Semáforo

verde

para os

transeuntes

 vermelho

para a minha

coragem

 de abandonar

aquela

vida

desgastada

 A vontade

de confessar

  a descoberta

 de um grande amor

 que há pouco

reconheci

 saltava

do meu

peito

 e quase

foi realizada   
          
         
 Decisão

inebriante


O sinal

 abriu

 e a esperança

foi desmanchada


 Segundos

indecisos

quase

mudaram

toda

a minha

vida


 Meus dedos

trêmulos

 seguraram

ferozmente

 a tranca

da porta
  
e apertaram

lentamente

 a coragem

de sair

e   de atravessar

a porta do

outro veículo

 onde

o meu intenso

amor

 aguardava

a minha

chegada


Jamais

consegui

guiar a vida

como outrora


 Ele  sabia

dos meus

desejos

e levou

o meu coração

para sempre

 Respeitou

a minha decisão

E assim  

não nos veríamos

novamente

Escolhas

na vida

são feitas

Nunca

saberei

se foi

a melhor

decisão
 15/6/11& 17/6/11
Eliana Pichinine
*Este poema foi baseado numa cena do filme “As Pontes de Madison”. O texto é uma interpretação sobre o que a personagem principal do filme estaria sentindo nesta cena decisiva entre ficar ou não com o grande amor da vida dela. 




quinta-feira, 3 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Ferrugem *




Ferrugem

anuncia


passagem

do presente


Incorpora

peles

do tempo


Compõe

novo

formato


Reverencia

a finitude


Colore

a transitoriedade


8/7/11
Eliana Pichinine

*Um brinde à transitoriedade do que é /ou está enferrujado em nós mesmos!!!!