segunda-feira, 14 de outubro de 2019

rua

 
                       sem camisa
                       sem calçado 
                       e  sem repelente 
                      espanta os mosquitos
                      que sugam as feridas
                  
           com short da "NIKE"
           vasculha o lixo
           com sorte
           encontrará migalhas
           com fome 
                         nada é descartável
                                    Eliana Pichinine 


quinta-feira, 3 de outubro de 2019

por dentro



 


                    
                        
                       
                        apagava 

                        incêndios

                        não acendia

                        a chama
                     
                           Eliana Pichinine 

domingo, 22 de setembro de 2019

Aquarela





quando acordar
que seja com 
alma 

nuvens no pé
e laços no coração 


se não puder
ainda assim
a  paleta
de cores

deixa
rastros
para o dia 
seguinte ...


Eliana Pichinine 

ALVO





pelas costas
um tiro

quem retira
o sangue 
da perda?


Eliana Pichinine

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Esperança (apesar dos Tempos difíceis




aqui dentro 
as palavras 
me tocam
e parecem 
adormecidas


o silêncio 
da retina 

vasculha
o que ainda parece 
estar vivo 
neste mundo
de aparências 


realmente 
não está tudo bem 
e nem é discurso pessimista 
é constatação 

mas se não mergulhar 
o coração numa piscina
de estrelas de vez em quando
como aguentar a desigualdade 
escaldante que disseca a pele
de cada dia? 

cheiro a flor 
sem arrancar 
do jardim
e faço dela 
um verso 

enquanto 
houver
raiz talvez
o mundo 
resista 

Eliana Pichinine 

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Até quando?





um dia após o outro
sempre tentava agradar


queria
mas não dançava
nas festas
porque ele
“pedia”

um dia após o outro
sempre tentava agradar

deixava de sair
pra ficar em casa com o seu “amor”

um dia após o  outro
sempre tentava agradar

maquiava o hematoma
da semana
e mais  uma vez apostava
na mudança de atitude
do parceiro

buscava carinho
recebia ironias
entregava o coração
e sem perceber
rastejava ...

até que um dia
não teve mais tempo
de acordar

no meio da noite
ele chegou

e com a desculpa de que
estava nervoso
ceifou a vida daquela mulher

será que um dia ela
conseguiria conquistar a autoestima?

a moça não está mais por aqui
nunca saberemos

até quando
isso acontecerá?

Eliana Pichinine 

quinta-feira, 1 de agosto de 2019